fbpx

20 lições de aprendizado com Leonardo da Vinci

Depois das biografias de Benjamin Franklin, Albert Einstein e Steve Jobs, Walter Isaacson nos brinda com mais uma obra-prima, digna de um dos maiores gênios da história: Leonardo da Vinci.

Além do primor e do rigor da pesquisa histórica da vida e obra de Leonardo, Isaacson nos faz viajar a 500 anos atrás e viver intensamente a rotina, as mazelas, os vícios e a genialidade desse grande mestre.

Sem dúvida, Leonardo estava muito à frente de seu tempo, descobrindo, propondo e criando teses, conceitos, métodos e obras que só seriam desenvolvidos séculos depois.

A leitura é intensa e instigante; impossível parar até chegar na última página! E lá no final do livro, lições de aprendizado do gênio.

Quero compartilhar com você, aqui no blog, um resumo de como aprender com Leonardo:

1) Seja curioso, incansavelmente curioso
Ser incansavelmente e aleatoriamente curioso sobre tudo que nos cerca é algo que todos podemos nos esforçar para fazer a cada segundo da vida, exatamente como Leonardo fez.
Exemplo de Leonardo: por que as pessoas bocejam?

2) Busque o conhecimento pelo simples prazer da busca
Nem todo o conhecimento precisa ser útil; às vezes ele pode ser perseguido por puro prazer.
Exemplo de Leonardo: como funcionam as válvulas cardíacas?

3) Conserve a capacidade das crianças de se maravilhar
Precisamos tomar o cuidado de nunca deixar nossa criança interior crescer ou permitir que isso aconteça com nossos filhos.
Exemplo de Leonardo: por que o céu é azul?

4) Observe
O maior talento de Leonardo era a habilidade aguçada de observar o mundo. Esse dom alimentava a sua curiosidade e vice-versa.
Exemplo de Leonardo: ele viu que as libélulas tinham quatro asas e que os pares se alternavam durante o movimento.

5) Comece pelos detalhes
“Se você quiser ter um conhecimento sólido sobre as formas de um objeto, comece pelos detalhes e não avance para o próximo se não tiver gravado bem o primeiro na memória.”
Exemplo de Leonardo: a página de um livro não pode ser absorvida em apenas um olhar, é preciso ler palavra por palavra.

6) Veja o que está invisível
Na produção de espetáculos teatrais – uma das atividades de Leonardo – ele misturava engenhosidade com fantasia, o que lhe deu uma criatividade combinatória.
Exemplo de Leonardo: ele era capaz de ver pássaros voando, mas também anjos.

7) Mergulhe no desconhecido
Ele mediu cada segmento do corpo humano, calculou as relações de proporcionalidade e fez o mesmo com um cavalo. Ele estudou coisas pelo simples prazer de aprender.
Exemplo de Leonardo: ele preencheu a página de abertura de um caderno com 169 tentativas de realizar a quadratura do círculo.

8) Distraia-se
Ele tinha a disposição de se interessar por qualquer tópico que cruzasse o seu caminho, deixando a sua mente muito mais rica e com muito mais conexões. Alguns críticos acham que isso empobreceu o seu legado.

9) Respeite os fatos
Quando tinha uma ideia, ele criava uma maneira de testá-la. E, quando a experiência mostrava que a teoria estava errada, ele abandonava a teoria e elaborava outra.
Exemplo de Leonardo: não podemos ter medo de mudar de ideia conforme novas informações vão surgindo.

10) Procrastine
A maioria de nós não precisa de nenhum incentivo para procrastinar; fazemos isso naturalmente. Mas procrastinar como Leonardo dá muito trabalho: o processo envolve reunir todas as informações e ideias sobre um assunto e só então deixar que essa grande coleção fermente.
Exemplo de Leonardo: quando trabalhava em A Última Ceia, Leonardo às vezes ficava olhando para a pintura por uma hora, dava uma mísera pincelada e em seguida ia embora.

11) Faça com que o perfeito seja inimigo do bom
Artistas de verdade se preocupam até com a beleza das partes ocultas, ainda que às vezes é preciso entregar um produto mesmo quando ainda há ajustes a serem feitos. Essa é uma boa regra para a vida cotidiana, porém há momentos em que é melhor ser como Leonardo e não desistir de algo até que esteja perfeito.
Exemplo de Leonardo: ele manteve consigo obras-primas como A Virgem e o Menino com Santa Ana e a Mona Lisa até o fim, sabendo que sempre poderia acrescentar uma nova pincelada.

12) Pense visualmente
Com frequência, quando aprendemos uma fórmula ou uma regra – mesmo uma simples, como a multiplicação dos números ou a mistura de uma tinta – paramos de visualizar como ela funciona. Como resultado, perdemos a capacidade de apreciar a beleza fundamental por trás das leis da natureza.

13) Evite fechar horizontes
Leonardo tinha uma mente aberta, que perambulava alegremente por todas as disciplinas da arte, da ciência, da engenharia e das humanidades. Ele sabia que a arte era uma ciência e que a ciência era uma arte.
Exemplo de Leonardo: seu conhecimento de como a luz atinge a retina o ajudou a criar a perspectiva em A Última Ceia.

14) Faça com que seu alcance seja maior do que sua compreensão
Existem certos problemas que jamais resolveremos. Aprenda por quê.
Exemplo de Leonardo: imagine, da mesma forma como ele imaginou, como você construiria uma máquina voadora ou desviaria o curso de um rio.

15) Alimente sua fantasia
Assim como borrava os limites entre a ciência e a arte, Leonardo fazia o mesmo com o que separa a realidade da fantasia. Ele pode não ter produzido máquinas voadoras, mas sua imaginação voou muito alto.

16) Crie para você, não só para os patronos
Não importa o quanto a rica e poderosa marquesa Isabella d’Este implorara, Leonardo não pintou seu retrato. Mas ele começou a trabalhar em outro, o da mulher de um comerciante de seda chamada Lisa, fez isso porque queria e seguiu aperfeiçoando essa obra pelo resto da vida, sem entregá-la ao cliente.

17) Trabalhe em conjunto
A genialidade se origina de um brilhantismo individual; ela necessita de uma visão singular. No entanto, para executá-la, em geral é necessário trabalhar com outras pessoas: a inovação é um esporte coletivo; a criatividade, um esforço colaborativo.
Exemplo de Leonardo: as versões de Virgem dos rochedos e da Madona do fuso e outras pinturas que saíram do ateliê de Leonardo foram criadas em processos tão colaborativos que é difícil determinar quem os criou.

18) Faça listas
E coloque itens estranhos nelas. As listas de coisas a fazer de Leonardo são provavelmente os maiores atributos à pura curiosidade que o mundo já viu.
Exemplo de Leonardo: descrever a língua do pica-pau.

19) Faça anotações – no papel
Quinhentos anos depois, os cadernos de Leonardo ainda estão por aí para nos surpreender e nos inspirar. Daqui a 50 anos, nossos próprios cadernos, se levarmos a sério a iniciativa de começar a preenchê-los, estarão por aí para surpreender e inspirar nossos netos, ao contrário de nossos tuítes e posts no Facebook.

20) Esteja aberto ao mistério
Nem tudo precisa de linhas bem definidas.



Deixe uma resposta